Faça sua doação para nosso projeto clicando no botão ao lado.

Curso de cabeleireiro

 Nossas irmãs Clarice (Rondonopolis,MT) e Regina (Rio Claro,SP) foram as professoras do curso de cabeleireiro.

 Veja a experiência por quem as viveu:

Regina: ... vou tentar passar a minha experiência:
Tive a oportunidade de ver, e também vivenciar várias situações que me ajudaram a refletir e aumentar em mim o desejo de servir.
Fiquei surpresa quando o Pedro (garoto de 12anos) veio me perguntar quando, onde, e que horas ia começar o Curso de Cabeleireiro, pois ele queria ser um dos alunos. Como assim ??!! Estou acostumada a ouvir garotos pedir outras coisas como: vídeo game, celular, tênis, etc...
E, o garoto esteve no curso todos os dias, sempre no horário marcado e, também, todas as noites no culto. Isso me deixou com o sentimento de ter ensinado, a ele, como pescar, mesmo trazendo meu equipamento de volta. 😰
No sábado à noite, durante o culto, tive que me segurar, pois não foi fácil.
Daniel um menino pequeno (6 anos +ou -) ficou me rodeando, ofereci colo e ele, rápido, se sentou e foi logo falando: Tia tomei banho com sabonete, olha... cheira meu cabelo para você ver!
Conversei com ele, que disse fazer tempo que não tinha sabonete, e que tomava banho só com água
E, aí fico pensando, quantas vezes eu mesma fico a escolher se esse ou aquele sabonete? 🤔
Tive, também, Graças a Deus, a oportunidade de praticar o domínio próprio e a tolerância, em relação a situações vivenciadas, que a meu ver, vão contra a vontade Deus, mas que partindo de seres humanos imperfeitos que somos seja compreensível que aconteça.
Mas, quando lembro de cada rosto, vejo sorrisos, lição de vida, ali, não ouvi ninguém se lamuriando 😃
Por fim...
Desejo que o desejo de vocês seja o mesmo que o meu:
Servir sempre e melhor, para honrar e glorificar o nome do nosso Senhor Jesus!
Amém...😘

Clarice: ... é difícil mas vou falar em poucas palavras. Acho eu recebi mais do que doei. Eu fiquei maravilhada em ver aquelas pessoas tentando aprender um pouco, sem se importar com diplomas. E, pensar que nós sempre estamos correndo atrás de algo para nos tornarmos melhores! Estou muito feliz em saber que o pouco que passamos, de alguma maneira, vai ajudar! Pedro, o garoto de 12 anos e a Maria Aparecida, disseram que já estão pondo a “mão na massa”. Então, pude perceber que, não precisamos de muito, só precisamos confiar em Deus! Foi uma experiência tremenda que me fez refletir sobre minha vida.

Galeria de imagens

Compartilhe