Faça sua doação para nosso projeto clicando no botão ao lado.

Home / Artigos

Abusos, at quando?

 “Deixai os insensatos, e vivei; andai pelo caminho do entendimento” Provérbios 9.6

O número de veículos circulando pelas estradas tem aumentado consideravelmente a cada ano. O grande objetivo das rodovias é o de ligar povos, cidades, estados e até países, propiciando melhor relacionamento cultural e comercial. Infelizmente, há uma companhia indesejável que tem pego carona em muitos veículos... o abuso da velocidade.

Se consultarmos, museus ou colecionadores, saberemos que os veículos antigos já dispunham de velocímetros. Eles marcavam, no máximo, até 100 km/h, velocidade inatingível na época. A pequena potência do motor e as condições das estradas impediam isso.

E o que vemos hoje? Veículos que saem de fábrica com velocímetros que marcam muito além dos 200 km/h e motoristas que insistem em tentar fazer o ponteiro chegar na marca final. A sabedoria, entendimento e respeito à legislação e transeuntes nos orientam a não irmos além dos limites estabelecidos para cada local. Por outro lado, há os incentivos a nos desafiar para cairmos no erro, para “ver o circo pegar fogo”. São as bebidas alcoólicas, “rebites” e um sem número de drogas que agem como desastrosos encorajadores.

Os meios de comunicação têm nos mostrado com constância e clareza, os resultados dolorosos dessa união: drogas + abuso de velocidade = morte. Pessoas inocentes têm sido as principais vítimas dessa descabida irresponsabilidade.

Também não dá para entender o disparate, a legislação limitando velocidades máximas de acordo com as diferentes vias: 30 e 60 km/h nas ruas da cidade e o máximo de 80 km/h nas estradas urbanas. Nas rodovias, de 80 km/h nas comuns e até 120 km/h nas especiais. Se esses são os limites, qual é o motivo das montadoras continuarem a colocar, nos seus veículos, velocímetros que marcam além dos 120 km/h, permitido nas rodovias especiais? E instalar motores possantes, coniventes com os abusos exacerbados?

Cremos, já ter passada a hora da legislação “orientar” as montadoras a criar e instalar dispositivos que adequem os veículos não ultrapassarem os limites de velocidade determinados, pela própria legislação, a cada local.

Muitas empresas de transporte, instalam tacógrafos, que são formas de controle de percurso, tempo de estrada, tempo de descanso, e livramento de multas por excesso de velocidade. Isso, tem reduzido, consideravelmente, o número de acidentes na estrada.
 

Compartilhe



Veja Também