Faça sua doação para nosso projeto clicando no botão ao lado.

Home / Artigos

Ele vai se lembrar de mim

Honra a teu pai e tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. Efésios 6.2-3 

Em mais uma visita ao asilo, perguntei a um dos velhinhos, que estava solitário num canto: - Senhor, da última vez que estive aqui o senhor disse que estava aguardando seu filho para levá-lo de volta para casa, houve algum problema? Pensativo e triste, ele respondeu: - Acho que ele ainda não voltou da viagem!

Depois, estendendo a conversa contou que seu filho, alegando viagem com todos da família, achou melhor que ele ficasse, apenas por alguns dias durante a viagem, nesta casa de repouso. Aqui, ele teria mais segurança e com pessoas que estariam cuidando da sua saúde e bem-estar, pois, logo ele iria de volta para casa. Também disse que lembranças de fatos distantes sempre afloram em sua memória: como o do dia em que o filho nasceu. Que alegria! Queria que todo o mundo soubesse do importante acontecimento em sua vida; dos cuidados e carinho nos seus primeiros passos, segurando suas mãozinhas e o incentivando na caminhada.

Levá-lo à escola no primeiro dia de aula foram mais duas coisas que marcaram muito. A primeira, foi seu choro, quando caminhava para dentro da escola e, virando o rostinho, viu que estava se distanciando de mim. Eu o encorajei dizendo que logo estaria de volta para buscá-lo. Confesso que lágrimas, também, derramei. Afinal, nunca havíamos passado por essa experiência de nos separarmos.

A segunda, bem antes do final da aula, lá estava eu no portão da escola, ansioso para encontrar meu filho querido. Logo ele apareceu, nos reencontramos e, saudosos, nos abraçamos fortemente. Ali, ele teve a certeza que eu nunca o abandonaria! O tempo passou e, sempre, com muito amor e carinho o acompanhei ensinando, apoiando e suprindo-o, em suas necessidades, mesmo quando passávamos momentos de dificuldades financeiras. Com muito orgulho, comentava com meus amigos, sobre seu esforço nos estudos; na sua formatura; depois, no seu casamento; no nascimento de seus filhos, meus amados netos, e na certeza de sempre estarmos juntos, em qualquer situação.

É certo que, às vezes, eles reclamavam do volume alto, quando eu estava assistindo TV, da luz que não havia apagado e de mais algumas coisinhas que eu esquecia de fazer. Acho que o peso da idade nos deixa um pouco desligado, sem dizer que os nossos ouvidos e olhos cansados, passam a funcionar com alguma deficiência. Na verdade, acho que foi essa a preocupação dele, por não ter me levado na viagem, também, o meu caminhar em passos lentos e trôpegos poderiam colocar em risco até minha própria vida. Me convenci que ficar aqui seria melhor.

O ano passado ele ligou para mim, não falou onde estava e, eu fiquei animado, imaginando que logo ele viria me buscar. Acho que ainda não voltou da viagem. Estou preocupado, porque ele disse que seria rápida e, já se passaram vários meses. Mas, certamente, no Dia dos Pais ele vai se lembrar de mim... (jam) 

Compartilhe